IV Festival Internacional Cinema e Transcendência

Centro Cultural Banco Do Brasil Brasília, De 19 A 30 De Dezembro De 2017.

 

Único no Brasil, festival volta com programação ampliada

Curadoria do cineasta, músico e pesquisador André Luiz Oliveira e da cineasta, produtora e jornalista Carini Bini

16 filmes, entre longas, médias e curtas, de vários continentes

Dez dias de exibição, num total de 24 sessões

Apresentação do mais recente filme de Alejandro Jodorowsky

 

A notícia é para celebrar! Depois de um ano ausente do calendário cultural brasileiro, o Festival Internacional Cinema e Transcendência, único em seu perfil no País, chega à quarta edição. Tendo a arte cinematográfica como mediadora entre o sentido estético e a experiência de autoconhecimento, o evento exibe filmes com proposta imersiva, propõe debates e conversas, oferece oficinas e convida a atividades como aulas práticas de tai-chi-chuan. Toda esta verdadeira festa do pensamento, dos sentidos e da ação vai acontecer de 19 a 30 de dezembro, no Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília.

O Festival Internacional Cinema e Transcendência tem por conceito curatorial apostar na união entre cinema, tecnologia e percepção sensorial. As produções exibidas fogem aos temas do cinema convencional e apresentam olhares diferenciados sobre a realidade, a espiritualidade, a arte e o pensamento contemporâneo. Em 2017, serão exibidos 16 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, produzidos em países tão diversos quanto Emirados Árabes, Burkina Faso, Inglaterra e Brasil. No total, serão 24 sessões em dez dias de festival.

Sob a curadoria do cineasta e músico André Luiz Oliveira (de Meteorango Kid, Louco por Cinema e Sagrado Segredo) e de Carina Bini (produtora cultural), serão exibidos filmes que oferecem oportunidades de transformação pessoal. “No momento em que o planeta e seus habitantes expressam um medo generalizado, uma agonia física e metafísica, individual e coletiva, acusados nos sintomas de ódio e polarizações radicais, o IV Festival Internacional Cinema e Transcendência traz momentos de esperança e construção de novas perspectivas de vida, regidas pelo amor e tolerância”, afirma o curador. E destaca: “Este ano, o Festival amplia o seu espectro ao trazer outros países, outras cinematografias, outras culturas e caminhos de conhecimento, aproximando o espectador de verdadeiras experiências de autotransformação e resistência”. 

A programação inclui obras surpreendentes, como o recentíssimo Poesia sem Fim, do chileno Alejandro Jodorowsky, que apresenta um passeio autobiográfico por suas memórias, constelando no filme - como mestre que é - a sua própria família; No Olho da Espiral, de Raynald Leconte e Eve Blouin, sobre a reconstrução do Haiti, premiado como Melhor Documentário Especial do BAFF (Big Apple Film Festival) em Nova York; e Sombras do Paraíso, de Sebastian Lange, que apresenta as transformações vividas pelo Movimento de Meditação Transcendental, a partir de alguns de seus mais consagrados seguidores, como o cineasta David Lynch. E chega a títulos memoráveis como o raro e imperdível Encontro com Homens Notáveis), obra-prima do mestre dos palcos Peter Brook, numa adaptação para o cinema do livro autobiográfico do mestre do quarto caminho G.I. Gurdjieff.

Além da programação cinematográfica, o festival traz atividades de formação que incluem oficinas e debates e programação com atividades voltadas para o público infantil e suas famílias. Um espaço para acolhê-los foi especialmente montado no Pavilhão de Vidro do Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília. Lá, será instalado o Mundo Bambu, com programa para todas as idades.

Serão realizadas ainda duas apresentações musicais durante o Festival, uma no dia da abertura, 19/12, e outra no encerramento do evento, no dia 30/12/17. E haverá também o debate “A Transcendência do fazer artístico”, marcado dia 27 de dezembro às 19h30.

O IV Festival Internacional Cinema e Transcendência é uma realização da Atman Filmes, produtora audiovisual do DF, e Culturare Arte e Educação, e tem direção geral de Carina Bini.

 

O FESTIVAL

O Festival Internacional De Cinema e Trancendência se diferencia da maioria dos festivais do país pelo formato e pela curadoria. Idealizado por André Luiz Oliveira, cineasta, músico, produtor e pesquisador, o conceito proposto segue a máxima posta por Alejandro Jodorowsky, cineasta chileno e um dos patronos permanentes do festival: “O cinema é um instrumento poderoso capaz de transformar almas e mentes”.

Desta forma, o evento opta por uma programação densa quanto ao conteúdo dos títulos, porém leve no número de obras apresentadas durante os dias de exibição. A ideia é que o público consiga assistir a todos os filmes, podendo obter a imersão proposta pela curadoria do festival. Na tela, produções que oferecem ao espectador novas camadas de reflexão sobre temas relevantes da contemporaneidade, que investigam a subjetividade e transcendem padrões, provocando e estimulando o despertamento de possíveis caminhos de consciência.

Em sua quarta edição, o FESTIVAL apresenta produções que oferecem olhares diversos e inovadores. São filmes feitos ao redor do mundo, com abordagens diferenciadas da experiência humana, refletindo uma busca real – pessoal ou coletiva, consciente ou inconsciente – dos seus realizadores e envolvidos. Os títulos revelam a imensa diversidade étnico-cultural na formação da psique humana, trazem rituais tradicionais das culturas indígenas e africanas, e chegam a obras inspiradas nas biografias de importantes personagens que incorporam a transcendência em sua vida ​e no fazer artístico e intelectual como Jodorowsky, G.I. Gurdjieff, David Lynch, Joseph Campbell e Rogério Duarte. 

Um destaque: duas sessões da programação serão acessíveis através da Legendagem Descritiva – LSE.

 

PROGRAMAÇÃO

Terça, 19 de dezembro

19h - Show de abertura

19h40 – Filme de abertura: Sombras do Paraíso (87min) – Livre

 

Quarta, 20 de dezembro

17h30 – Rogério Duarte, o Tropikaoslista (87min) – 14 anos

19h30 – Poesia Sem Fim (128min) – 16 anos

 

Quinta, 21 de dezembro

15h30 – Retratos da Alma (20min) + Xapiri (54min) – Sessão acessibilidade/legenda LSE - 12 anos

17h30 – Encontro com Homens Notáveis (108min) – Livre

19h30 – Encontrando Joe (80min) – Livre

 

Sexta, 22 de dezembro

15h30 – Retratos da Alma (20min) + Atlântico Negro (54min) – Livre

17h30 – Twaaga (30min) + No Olho da Espiral (55min) – 12 anos

19h30 – Planta Madre (85min) – 14 anos

 

Sábado, 23 de dezembro

15h30 – Ícaros, a Vision (91min) – 14 anos

17h30 – Malala (88min) – 14 anos

19h30 – Sombras do Paraíso (87min) – Livre

 

26 de dezembro

17h30 – Twaaga (30min) + No Olho da Espiral (55min) – 12 anos

19h30 – Hairat (6’39min) + Louco Sábio (82min) – 14 anos

 

27 de dezembro

15h30 – Retratos da Alma (20min) + Xapiri (54min) – Sessão acessibilidade/legenda LSE – 12 anos

17h30 – Rogério Duarte, o Tropikaoslista (87min) – 14 anos

19h30 – Debate: “A Transcendência do fazer artístico” – Livre

 

28 de dezembro

15h – Encontro com homens notáveis (108min) – Livre

17h30 – Malala (88min) – 14 anos

19h30 – Ícaros, a Vision (91min) – 14 anos

 

29 de dezembro

15h30 – Encontrando Joe (80min) – Livre

17h30 – Poesia Sem Fim (128min) – 16 anos

20h – Retratos da Alma (20min) + Atlântico Negro (54min) – Livre

 

30 de dezembro

17h30 – Planta Madre (85min) – 14 anos

19h30 – Hairat (6’39min) + Louco Sábio (82min) – 14 anos

 

 

SINOPSES

 

LONGAS-METRAGENS

 

1.  CRAZYWISE (Louco Sábio), EUA, 2017, documentário, 82min, 14 anos

Direção: Phil Borges & Kevin Tomlinson

Sinopse: Louco ... ou sábio? A sabedoria tradicional das culturas indígenas muitas vezes contradiz as visões modernas sobre uma crise de saúde mental. É um "chamado" para crescer ou apenas um "cérebro quebrado"? O documentário CRAZYWISE explora o que pode ser aprendido com pessoas de todo o mundo que transformaram sua crise psicológica em uma experiência transformadora positiva.

 

2. FINDING JOE (Encontrando Joe), EUA, 2011, documentário, 80min, Livre

Direção: Patrick Takaya Solomon

Sinopse: No início do século 20, ao estudar a mitologia mundial, Joseph Campbell descobriu um padrão escondido em todas as histórias já contadas, a que ele chamou de "a jornada dos heróis". Um filme verdadeiramente inspirador, ENCONTRANDO JOE nos leva à jornada dos heróis últimos: a jornada da auto-descoberta. Ao matar dragões e descobrir tesouros, você pode achar que o Santo Graal que você procura está mais perto do que você pensa.

 

3.  HE NAMED ME MALALA (Malala), EUA/Emirados Árabes, 2015, 88min, documentário, 14 anos

Direção: Davis Guggenheim

Sinopse: Um retrato íntimo da mais jovem ganhadora do Prêmio Nobel da Paz, a paquistanesa Malala Yousafzai. Em outubro de 2012, ela foi atacada pelos talibãs e gravemente ferida por um tiro ao retornar para casa em seu ônibus escolar no Vale do Swat no Paquistão. A jovem de 15 anos foi destacada, junto com o pai, por defender a educação das meninas e o ataque a ela provocou protestos em todo o mundo. Ela milagrosamente sobreviveu e agora é uma das principais defensoras da educação das meninas globalmente como co-fundadora da Malala Fund.

 

4. ÍCAROS, A VISION, Peru/EUA, 2017, 91min, ficção, 14 anos

Direção: Leonor Caraballo & Matteo Norzi

Sinopse: Sofrendo com um grave câncer e com as opções médicas esgotadas, uma mulher americana embarca em uma jornada pela Amazônia peruana em busca de um milagre. Ela aterrissa em um centro de cura onde os xamãs ministram a um grupo de psiconautas estrangeiros (navegadores da mente/alma) - que buscam transcendência, companheirismo e segredos da vida e da morte – uma bebida feita por uma planta psicodélica conhecida como ayahuasca. A americana também experimenta a bebida e tem suas percepções alteradas para sempre. Ela forja um vínculo com um jovem xamã indígena que está passando por uma crise própria: ele está perdendo a visão. Em suas jornadas visionárias, eles conseguem um sentido diferente de seus destinos. Ela aprende a aceitar seus medos enquanto, por sua vez, ele percebe que poderá ver no escuro e cantar suas canções de cura cerimoniais.

 

5. MEETINGS WITH REMARKABLE MEN (Encontro com Homens Notáveis), Inglaterra, 1979, 108min, ficção, Livre

Direção: Peter Brook

Sinopse: Adaptado do livro autobiográfico de G.I. Gurdjieff, o filme conta a história de suas viagens em busca da iluminação e do desenvolvimento interior. Começa com sua infância e segue sua viagem pela Ásia Central, enquanto ele descobre novos níveis de espiritualidade através da música, da dança e de encontros com a morte. Filmado quase inteiramente no Afeganistão, narra a busca de Gurdjieff e de seus companheiros pela verdade, resultando na iniciação de Gurdjieff nos mistérios da Irmandade Sarmoung. O filme é baseado no livro de mesmo nome.

 

6. PLANTA MADRE, Argentina/Peru/Itália, 2016, 85min, ficção, 14 anos

Direção: Gianfranco Quattrini

Sinopse: Seguindo as coordenadas de um caderno antigo de seu irmão, um velho roqueiro argentino viaja para a Amazônia em busca de um curandeiro de Shaman. Ele pretende participar da cerimônia de Ayahuasca, que seu falecido irmão planejou no início dos anos sessenta, quando juntos eles formaram a banda de rock "Hermanos Santoro".

 

7. POESIA SEN FIN (Poesia sem Fim), França/Chile/Reino Unido, 2017, 128min, ficção, 16 anos

Direção: Alejandro Jodorowsky

Sinopse: Autobiografia do diretor Alejandro Jodorowsky que homenageia através da sua história a herança artística no Chile, seu país de origem. Durante a sua juventude, denuncia e rompe com as amarras familiares de uma sociedade conservadora e provinciana. Assume a sua poesia como expressão de vida e circula no ambiente artístico boêmio dos anos 1940 no Chile. Através do filme de uma poesia sem fim e com a maestria que caracteriza a sua jornada psicológica, estética e espiritual, Jodorowsky, aos 86 anos de idade, exorciza os fantasmas familiares em um extraordinário encontro de magnitude libertadora.

 

8. ROGÉRIO DUARTE, O TROPIKAOSLISTA, Brasil, 2016, 87min, documentário, 14 anos

Direção: José Walter Lima

Sinopse: O filme investiga a vida e a obra de Rogério Duarte tentando encontrar o cara que está por trás do personagem. O documentário tem como objetivo retratar a trajetória de uma das figuras mais seminais das artes e do pensamento brasileiros nos últimos 50 anos. Músico, compositor, artista gráfico, um dos criadores do Tropicalismo, Rogério sempre esteve por trás – e sempre à frente – de tudo o que havia de mais moderno e contemporâneo na cultura brasileira nos anos vitais de 1960 e 1970. Como Glauber Rocha disse a Caetano Veloso em uma ocasião: “Não se esqueça que por trás de todos nós existe Rogério Duarte”. Falecido em 2016, foi influência confessa de nomes como Torquato Neto, Hélio Oiticica, Tom Zé, Caetano Veloso e Gilberto Gil, dentre outros.

 

9. SHADOWS OF PARADISE (Sombras do Paraíso), Canadá, 2017, 87min, documentário, Livre

Direção: Sebastian Lange

Sinopse: Com acesso íntimo a dois líderes da Meditação Transcendental - o icônico cineasta David Lynch e o discípulo dedicado Bobby Roth -, o filme documenta a metamorfose do Movimento após a morte do fundador Maharishi Mahesh Yogi. Tendo crescido dentro do Movimento, o diretor Sebastian Lange aborda o assunto através de uma lente ensaística, buscando um significado pessoal em meio ao crescimento global transformador da TM.

 

MÉDIAS-METRAGENS

 

1.ATLÂNTICO NEGRO – NA ROTA DOS ORIXÁS, Brasil, 1998, 54min, Documentário, Livre

Direção: Renato Barbieri

Sinopse: Filme que retrata a importância do continente africano na construção da sociedade brasileira. Mostra a semelhança entre a religiosidade, musicalidade, fala, hábitos alimentares, estrutura familiar e manifestações culturais. O documentário desconstrói visões etnocêntricas de um continente bélico tomado pela fome e pela pobreza para apresentar uma África que influenciou a cultura brasileira e foi por ela influenciada também. Somos apresentados às religiões dos Orixás, aos lugares sagrados e às origens das religiões presentes no Brasil.

 

2. IN THE EYE OF THE SPIRAL (NO OLHO DA ESPIRAL), Haiti, 2015, 55min, Documentário, 12 anos

Direção: Raynald Leconte & Eve Blouin

Sinopse: Narrado por Annie Lennox, o filme capta a resiliência cultural e criativa do Haiti através da visão de seus artistas mais proeminentes. A filosofia do "espiralismo" nos faz entender a inevitabilidade da criação quando enfrentamos o caos. Vencedor do Melhor Documentário Especial do BAFF (Big Apple Film Festival) em Nova York.

 

3. XAPIRI, Brasil, 2012, 54min, Experimental, 14 anos

Direção: Leandro Lima e Gisela Motta, Laymert Garcia dos Santos, Stella Senra, Bruce Albert

Sinopse: Filme inspirado no xamanismo yanomami. Suas imagens foram registradas por ocasião de dois encontros de xamãs na aldeia de Watoriki, Amazonas, em março de 2011 e abril de 2012. Entretanto, o trabalho realizado sobre estas imagens escapa do registro documentário a fim de produzir uma simulação tecnológica livre a partir do universo visual e conceitual do xamanismo yanomami. Xapiri não pretende descrever nem explicar o trabalho dos xamãs Yanomami. Deve ser considerado como uma tentativa de tornar sensíveis, através de imagens digitais, certas ideias yanomami sobre as imagens xamânicas (utupë), sua ontologia e sua estética, sua transdução e mutabilidade nos corpos. Trata-se, antes de tudo, de uma homenagem visual à riqueza intelectual e poética do xamanismo-yanomami.

 

CURTAS-METRAGENS

 

1. HAIRAT, Etiópia, 2017, 6h39, Experimental, 12 anos

Direção: Jessica Beshir

Sinopse: Nos últimos 35 anos, Yussuf Mume Saleh viaja todas as noites para os arredores da cidade murada de Harar para se relacionar com suas amadas Hyenas.

 

2. TWAAGA (Invencível), Burkina Faso/França, 2013, 30min, Ficção, 12 anos

Diretor: Cedric Ido

Sinopse: Burkina Faso, em 1985, é um país em plena revolução. Manu, um menino de oito anos, apaixonado por quadrinhos, segue Albert, seu grande irmão. Quando Albert decide se submeter a um ritual mágico para se tornar invencível, Manu percebe que há poderes reais que podem rivalizar com os dos super-heróis dos quadrinhos.

 

3. RETRATOS DA ALMA, Brasil, 2016, 20min, Documentário, Livre

Diretor: Leo Bello

Sinopse: O documentário conta histórias de pessoas que têm uma estreita relação com o meio ambiente e nos convida a refletir sobre a natureza humana.

 

MUNDO BAMBU

Um espaço dedicado às crianças e suas famílias, unindo cinema e sustentabilidade, inspirado na tradição oriental de culto ao bambu será especialmente instalado dentro do Pavilhão de Vidro do CCBB. É “Mundo Bambu”, local com proposta lúdica e interativa que busca na tradição oriental do bambu elementos para construir um mundo que une tecnologia e atividades culturais e educativas para crianças, adultos, pais, mães, avôs e avós.

“A criança é a liberdade criativa que acessa mundos imaginários com facilidade. O bambu é considerado sagrado em toda a Ásia, simbolizando a graça e a harmonia entre a natureza e os seres humanos, além de ser uma das matérias-primas mais sustentáveis existentes no planeta. Ambos são uma escolha consciente para o futuro do planeta e trazem a transcendência em sua essência!” – afirma Carina Bini, diretora geral do Festival.

Toda a infraestrutura interna montada no Pavilhão de Vidro será construída com bambu, incluindo um dome geodésico (onde serão feitas projeções de filme), módulos e instrumentos lúdicos, floresta de bambu e espaço expositivo. Neste espaço lúdico serão montados aparelhos modulares de bambu para brincadeiras corporais e físicas para pais e filhos. Estes aparelhos remetem ao trapézio, cama de gato, pirâmide, estrelas, bastões, sinos de bambu, etc. O espaço contará com monitoria.

O local também vai acolher várias oficinas: Flauta de Bambu; Cinema “Uma ideia na cabeça, uma câmera na mão”; Oficina de Origami guiada para pais e filhos; Oficina “Massageando com Bambu” para pais e filhos; Oficina/apresentação Didjeridu de Bambu; Oficina: “Mundo de Ponta Cabeça” (brincadeira corporal guiada nos instrumentos de bambu para pais e filhos); e Oficina de Tai Chi Chuan para pais e filhos no pôr-do-sol.

 

Cinema e Tecnologia

No dome geodésico de bambu, será exibida a animação japonesa “The tail of Princess Kaguya” (6 min), com projeção mapeada na tenda em 180 graus. O público assistirá ao filme deitado num “tatame” no chão da tenda. O curta de animação conta a lenda do nascimento da primeira planta de bambu.

 

Exposição

A exposição “Seja como o bambu” será montada em painéis de bambu dispostos como um labirinto, dentro do Pavilhão de Vidro, e traz em fotos e ilustrações as 10 lições do bambu para a vida:

1. Não é preciso ser grande para ser forte, as aparências enganam;

2. Temos que encontrar força na luz, compaixão e gentileza;

3. O bambu se curva, porém não quebra;

4. O bambu é profundamente enraizado, porém flexível;

5. Acalme sua mente agitada como o bambu se acalma após a ventania;

6. Esteja sempre pronto para a ação;

7. Encontre sabedoria no vazio;

8. Comprometa-se a crescer e se renovar;

9. Expresse seu melhor na simplicidade;

10. Ao ser abatido, erga-se e liberte sua força;

 

Oficinas:

- Tsuru da Sorte: numa oficina de origami, crianças e pais serão guiados a fazer um tsuru (ave sagrada do Japão, símbolo da saúde, da boa sorte, da felicidade, da longevidade e da fortuna) de origami que poderá ser colocado na “Árvore da Sorte” (uma planta de bambu) disposta no espaço. Esta ação inspira o bom uso da tecnologia digital para o resgate de um conhecimento ancestral de dobradura e trabalho manual. A árvore remete ainda ao “pinheiro de Natal” e será sugerido que, ao colocar o pássaro Tsuru na árvore, seu autor faça um pedido/intenção para o ano de 2018.

- Flauta de Bambu: oficina de flauta de Bambu indiana (bansuri) para crianças e pais;

- Didjeridu de Bambu: oficina de didjeridu, instrumento de sopro dos aborígenes australianos. Trata-se de um aerofone, ou seja, um instrumento onde o som é provocado pela vibração do ar;

- Automassagem com Bambu: oficina para pais e crianças utilizando o bambu como ferramenta para massagear o corpo, a partir de uma técnica milenar asiática;

- Tai Chi Chuan - Uma aula ao pôr-do-sol para pais e filhos.

- Oficina lúdica de cinema para crianças

 

FICHA TÉCNICA

Curadoria – André Luiz Oliveira e Carina Bini

Direção Geral – Carina Bini

Produção Executiva – Sueli Navarro

Coordenação Técnica – Rubens Carvalho

Assessoria de Imprensa – Objeto Sim

Designer Gráfico/Redes Sociais – Michelle Braga

 

 

SERVIÇO

Local: Centro Cultural Banco do Brasil Brasília – Cinema e Pavilhão de Vidro

Data: 19 a 30 de dezembro de 2017

Horários: Funcionamento Mundo Bambu das 10h às 20h

Cinema: VER PROGRAMAÇÃO

Ingressos cinema: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)

ENTRADA FRANCA no Mundo Bambu

Informações: (61) 3108.7600

Cadastre seu evento

Publique gratuitamente seu evento no site Agenda Cultural Brasília

Cadastrar
picasion.com_c1dad0ffc4421800d6c24ad2d93a7d8c.gif
Coberturas agenda.gif
Criador de sites 300x250.png